segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Porque merece ser lido e compartilhado

Estou voltando aqui hoje porque quero compartilhar algo que merece ser lido. O post original, em inglês, está aqui, mas vou publicar uma tradução livre feita pela Retty-chan, no Fórum 6V. Leiam, porque é extremamente tocante.


***



Nós Somos LGBT*


Eu sou a garota expulsa de casa porque confidenciei à minha mãe que sou lésbica.


Eu sou a prostituta que trabalha na rua porque ninguém quer contratar uma mulher transexual.


Eu sou a irmã que abraça ao irmão gay durante as noites cheias de lágrimas e dor.


Nós somos os pais que enterraram a filha muito antes de seu tempo. Ela foi morta porque era gay.


Eu sou o homem que morreu sozinho no hospital porque eles não deixaram meu parceiro, que está comigo há 27 anos, ficar no quarto. Eles o consideraram “amigo” e não família.


Eu sou a criança órfã que acorda após ter pesadelos de que fui afastada dos dois pais que são a única família que eu já tive. Eu queria que eles me adotassem, mas eles não podem porque os dois são homens.


Eu sou um dos sortudos, eu acho. Sobrevivi a um ataque que me deixou em estado de coma por três semanas e provavelmente em um ano eu poderei andar de novo.


Eu não sou um dos sortudos. Eu me matei poucas semanas antes da formatura do ensino médio. Era simplesmente coisa demais para suportar.


Nós somos o casal cuja corretora de imóveis desligou na cara quando descobriu que queríamos alugar um apartamento de um quarto para dois homens.


Eu sou a pessoa que nunca sabe em qual banheiro devo ir para evitar que a gerência me chame a atenção. Não sou masculina o suficiente para o banheiro masculino, e nem feminina o suficiente para o banheiro feminino.


Eu sou a mãe que não pode nem visitar as crianças que tive, amamentei, e criei. Os juízes disseram que não sou uma boa mãe porque agora vivo com outra mulher.


Eu sou uma sobrevivente de violência domestica de quem o apoio do governo se afastou quando descobriu que meu “parceiro abusivo” é mulher, assim como eu.


Eu sou um sobrevivente de violência doméstica que não teve nem chance de receber ajuda do governo, porque sou homem.


Eu sou o pai que nunca abraçou o filho porque eu cresci com medo de demonstrar afeição por outros homens.


Eu sou a professora de economia doméstica que sempre quis ensinar educação física até que me disseram que apenas lésbicas fazem isso.


Eu sou o homem que morreu quando os paramédicos pararam de me atender, assim que descobriram que eu era transexual. Eu nasci mulher.


Eu sou a pessoa que está sempre se sentindo culpada porque pensa que seria uma pessoa bem melhor se não tivesse de conviver com o ódio da sociedade. Infelizmente, isso não acontece.


Eu sou o homem que parou de ir à igreja. Não porque eu não acredito mais, mas porque eles fecharam as portas para “gente como eu”.


Eu sou a pessoa com medo de falar aos meus afetuosos pais cristãos que eu amo outro homem. Eles podem começar a me odiar.


Eu sou um jovem hetero que que que o ódio acabe.


Eu sou um estudante que se recusa a usar termos homfóbicos como ofensas.


Eu sou um dos que se cansou de fingir ser algo que não é.


Eu sou o garoto que morreu com um tiro por causa da minha opção sexual.


Nós somos o casal que teve que morar longe da família e dos amigos para ficarmos juntos porque, em nosso estado, nosso casamento é ilegal.


Eu sou a pessoa que tem que esconder o que o mundo mais precisa: Amor.

*A sigla original, LGBTQ significa lésbicas, gays, bis, transexuais e “questioning” ou sem opção sexual definida, "em dúvida". Ou seja, todas as "opções sexuais" diferentes da heterossexualidade. Como não temos essa aqui no Brasil, usei a sigla LGBT.

***

Pensem nisso ;)

14 comentários:

Rafael Cotrim disse...

Preconceito Down!

Daniel Savio disse...

Texto maneiro, mas somos falsos moralistas, pois permitindo tantos crimes e vamos implicar logo alguém que procura a felicidade de uma forma que foge da nossa "normalidade"...

Fiquem com Deus, menina Moony e menino Roh.
Um abraço.

Lucas Igor disse...

O amor não tem idade, não tem cor, não tem sexo.
O fato de a sociedade aceitar isso será apenas uma questão de tempo.
Pelo menos é o que eu espero.

Bjão, Moony!

Lorita disse...

Preconceito afff...

*gostei do texto!

Tryck GT disse...

Belo texto!

E espero que o Lucas Igor tenha acertado na previsão!

Abraço!

Bruna ϟ disse...

Moony! Que bom te ver de volta :)
Hoje à noite sonhei com o .status, acredita? :) Senti saudade de ler... Daí, quando chego aqui, tem este texto tão bonito... Eu sinceramente não sei como as pessoas podem ter a capacidade de criticar as outras por causa da sua opção sexual. É inacreditável! Os políticos, os ladrões, os criminosos aparecem na mídia; as guerras são evidentes, todos nós sabemos, mas os casais do mesmo sexo têm que esconder o amor! O que define caráter não é e nunca foi a sua opção sexual, mas sim o respeito incondicional pelas escolhas das outras pessoas. Cor, credo, sexualidade, nada disso nunca fez ninguém melhor ou pior do que os outros.
- e eu escrevendo muito, como sempre :þ
Beijos para você e para o Rôh! :*

Patricia disse...

eu gostei do texto... preconceito é ridículo. o que importa é amar e ser feliz.
:)

neo-orkuteiro disse...

De passagem, vindo lá do meu bonde, partei pra ver o que aqui se continha. É, o texto é claro. Quem acredita em direitos humanos tem de solidarizar-se com todas as minorias oprimidas. Discriminar pessoas com base em diferenças é fato histórico que tem a idade da própria humanidade, acho que ainda estamos muito longe de solução satisfatória e definitiva para o problema, muito longe de aprendermos a conviver com as diferenças e de eliminarmos todos os preconceitos de etnia, de credo, de posição social, de afiliação política, de orientação sexual ou de lá o que seja. Francamente, não vejo grandes progressos acontecerem. Não vejo um mundo desarmado e sem ódio nem injustiças como algo que ainda verei com esses olhos que a terra, vocês sabem...
Mas é sempre bom denunciar e lutar. Conte(m) comigo se eu puder ser de alguma utilidade ainda que só a de aqui protestar meu intransigente repúdio a todas as formas de discriminação e preconceito.

Nenhum Mistério disse...

Babei pelo texto =D

Muito bom mesmo
E Moony, eu antes tava achando ruim vc estar namorando o carinha lah...
Mas agora to nem ai
Não vou te amar nem menos nem mais por isso
pra mim vc continua sendo a mesma ( e de fato é ) Amo-te garota
Quero q vc seja feliz
seja com homem, mulher, ou animal o0

enfim , seja feliz, o mundo, a vida, eh pra isso mesmo, para sermos felizes...
Eu axo errado, e nem tenho moral pra falar nada pq sou "b" xD mas ah
dane-se, eu acho errado mas não nego q faço... Pelo menos a minha hipocresia não vai tão longe xDDD

Mil beijos pra Ka e pro Rô ^^

On The Rocks disse...

pô, que coisa hein?

abs

sónia disse...

olá!
voltei com novo blog:

http://de-vez-emquando.blogspot.com/

mas cliquem antes no meu nome para irem até ao meu perfil e verem o antigo blog se n se lembrarem de mim!

bjs, adorei voltar a ler-vos!
um texto profundo

T I N I N disse...

Nossaaaaaaa
Que texto, hem!
Muito bom, tocante , inédita idéia para mim.
Voce podeia aparecer, né...
Fiz um post para meus amigos blogueiros.
Beijos
T I N I N

Maria disse...

Puxa. Preconceito me faz chorar.
=/

' Rôh disse...

O preconceito é realmente péssimo. Mto tocante o texto!


=*