quinta-feira, 9 de julho de 2009

...eu sou tipo aquela vontade que dá de repente de tomar Fanta Uva.

Sim, eu estava sumida. Mas vocês não ficaram sós, estavam nas mãos de Rôh, que também não dava as caras por aqui há um tempão e voltou pra fazer a alegria da nação :D

Todo mundo que tem um [ou, no meu caso, três] blog[s] já sentiu vontade de desistir de tudo, não é? Vida de blogueiro não é fácil. Não cheguei ainda ao ponto de querer desistir, mas dei uma boa pausa. Não é fácil levar tudo isso adiante sem essas paradinhas básicas. Passei as últimas semanas praticamente sem passar em nenhum blog (até mesmo os que eu visitava quase diariamente), não postei no Oh! My Girls quando deveria ter postado, e passei um tempo sem postar no Et Coetera também.

Em compensação, mês passado eu resolvi enlouquecer mais um pouco e criei o We Never Lost Control. Não, eu não vou sair do .status quo., até porque esse blog já faz parte de mim. Mas eu criei o WNLC pra falar só de música, que é uma das minhas graaaaandes paixões. Muitas vezes eu morro de vontade de escrever algo sobre música e evito fazer isso aqui, porque pra mim o .status quo. é mais um refúgio pros meus escritos e outras profundezas do meu ser (ok, ficou estranho isso, mas vocês superam). Música boa deve ser compartilhada, assim como a boa literatura. Então, quando vocês estiverem afim de ouvir algo novo ou simplesmente ler um pouco sobre uma banda já conhecida, dêem uma passadinha lá. Não, você não vai encontrar cd’s pra baixar, são apenas reviews mesmo, sobre o que eu acho da banda tal e etc. Be happy.

Sobre o título do post... Essa frase veio de um filme nacional chamado .apenas o fim. Assim mesmo, em minúsculas e com pontinhos no início e no final, como o .status quo. Infelizmente, ele não chegou à Fortaleza e não tenho muitas esperanças de que chegue logo, mas... Fazer o quê, né.

Descobri o trailer [clica aqui pra assistir] dia desses, no meio de uma conversa no MSN com a Larissa e o Homero. Ele enviou o link, eu vi, e tô babando pelo filme até agora. Talvez seja melhor até nem assistir, vai que a magia se perde xD

Quando vi o trailer, fiquei pensando nessa geração dos anos noventa. Nós, que crescemos ouvindo Los Hermanos e Nirvana, que éramos crianças quando Cazuza e Renato Russo morreram, que vimos todo tipo de coisa tosca na televisão (e coisas legais também, como O Fantástico Mundo de Bob e Ursinhos Carinhosos xD), que conhecemos o Windows desde pequenos, crescemos lendo Harry Potter (eu sei, eu sei, nem todo mundo fez isso, mas deu pra entender, né?), vivemos nessa era Google, etc...

Enfim... é bom ver que estamos sendo documentados.

Ah, nesse semestre, minhas férias caíram milagrosamente em julho, mês em que os seres humanos normais tiram pra descansar [ou não]. E o meu aniversário é nesse mês também, então dá pra ser feliz por trinta dias.

No meu último post eu comentei que tinha feito a prova pra Casa de Cultura Britânica. Pois eu passei! E me matriculei hoje :D

Pra compensar meu falatório maluco e sem sentido nesse post, vou colocar aqui um mini-conto que fiz há alguns séculos atrás, e que já postei uma vez no Oh! My Girls. Ele é beeem pequenininho mesmo, não se assustem.

----



.Relance.

O que primeiro me chamou a atenção foi o som de um violino se erguendo em meio à balbúrdia de uma noite de sexta. Meus passos eram lentos por causa da neve e os encontrões com as pessoas na calçada eram freqüentes. Até os carros andavam devagar, mas não deixavam de buzinar o tempo todo. Mas eu ouvi o som agudo se elevando acima de tudo isso e resolvi segui-lo, num desses impulsos que se tem de vez em quando.


Era em um pequeno restaurante, numa ruazinha mais isolada e mal iluminada. Alguém estava fazendo aniversário, mas eu não podia ver quem era. Dois homens tocavam para ela; um no violino, outro no acordeom. Fzia muito tempo que eu não ouvia algo tão dolorosamente bonito. Cruelmente doce, como só um violino pode ser.


Um garçom trouxe um bolinho, com uma única vela acesa. Uma coluna bem em frente à mesa me impedia de ver a pessoa homenageada, mas na hora de apagar a vela ela se inclinou e pude vislumbrar um nariz e o relance de um sorriso. Era uma mulher. Ela ergueu as mãos para bater palmas junto com os outros. Os músicos pararam de tocar e voltaram para o pequeno palco onde deviam se apresentar normalmente.


Ela cortou um pedaço do bolo e entregou a alguém que estava ao seu lado e que eu também não conseguia ver. Suas unhas eram escuras, assim como a boca. Começou a nevar. Estava frio demais.


Fui embora. Nunca mais a vi.


----


Enquanto isso, no We Never Lost Control:


Gogol Bordello, Mika, The Kooks, Michael Jackson [sim, eu escrevi sobre ele], Andrei Machado, Radiohead e Franz Ferdinand.


----


Até mais :D


13 comentários:

Lucas Igor disse...

E ainda continua sendo aquela menina de olhos brilhantes esperando sua boca ser beijada.

E ainda continua sendo a minha escritora favorita.

Keel Diniz disse...

Pois ehh.. tava sumida mesmoo hienm.. vou reclamar..ao sindicato dos blogueiros..(nem existe isso mas deveria..kkkkk).. vê se aparece mais..
^^

Mah disse...

tava com saudades de vc mony (:
e tbm to com saudades dos seus contos! vê se não desiste tá bom
bjão

Larissa. disse...

Ah, que lindo conto!
E o We never lost control eh mara!!!

Espero que esse filme venha pra cá... estão passando ele nas salas de cinema Unibanco, e aqui tem uma. *-*

bjos
;**

' Rôh disse...

Caraaaaaaaaa, achei um site de filmes iraado!
E tu falando d filme aí, massa!
Vi o trailer, é claro que não chegou em fortaleza, tem lá: breve nos cinemas!
Mas show show...
nossa geração sendo documentada?!
Isso me dá uma puta impressão de que estamos ficando velhos!
Já posso ouvir algo alguém me chamando...
"Vovô Romell.."


Aiiii, bate na madeira!

Cara, não sabia que vc tava de férias, q massa! =D

Sim, sobre o conto...
Eu particularmente adoro esse, pequeno, compacto despretencioso e sublime:


Relance!

homero luz disse...

Nossa esse filme pelo que já li do roteirista retrata bem nossa geração afinal o roteirista tem 20 anos e em curitiba ele estréia em julho rrssrsrrsrs eu vou assistir

Alice disse...

amei!
amo The kooks e franz.
mas to passando aqui pra agradecer o comentario do 'rô' e dizer que eu voltei, hihi.
amei o textinho.
bjss

jverdi disse...

Oi

Te convido pra conhecer meu Blog e minhas idéias.
Qdo. tiver um tempinho, dá um pulo lá.

http://www.julio-verdi.blogspot.com/


Bjs


Júlio Verdi

Sofih disse...

É, as vezes eu tenho vontade de sumir... Ultimamente eu tenho entrado de vez em quando, postado, indo em blogs e tal. Fica mais relax! =)

Quanto ao seu conto, não entendi exatamente o que queria dizer, mas sinto que não é um ambiente sóbrio (não foi a palavra certa) que pode inibir a alegria das pessoas,

Beijos

Daniel Savio disse...

Este texto do violino já tinha sido postado anteiormente...

Não ligue, todos sumimos por algum tempo...

Mas não deixe de postar Will.

Fiquem com Deus, menina Moony.
Um abraço.

Nenhum Mistério disse...

Pelo amor de Deus nunk deixe de postar o Will.... Eu tava sumida mas voltei e to loka pra ver o Will denovo \o/

Tem coisa lah no Blog >< BEijus =D

Bruna L. disse...

Ah, mas sumir às vezes é bom (e olha que eu entendo disso, viu? Rs...), mas melhor ainda é voltar. E que ótimo que você voltou, Moony! Parabéns pela Casa de Cultura *-*. Só não some de vez, não, tá, Moony? A gente fica aqui esperando :)
Beijo :*

Nenhum Mistério disse...

eh.. foi bom ter sumido mesmo...

O mundo inteiro tah deprimido gente!!!

\o/

precisamos fazer alguma coisa o.õ

PS: Eu amooooo ursinhos carinhosos e alem disso, eu li todos os livros do Harry Potter xD