sábado, 30 de outubro de 2010

Qualidade, não trabalhamos


(um poster tão bonito! que desperdício.)


Então mês passado eu resolvi assistir Do Começo ao Fim.


Pra que, meu Deus?


O que eu tinha a dizer sobre o filme imediatamente depois de assisti-lo:


CARALHO QUE FILME RUIM 


O que eu tenho a dizer agora é muito mais bonitinho e fundamentado, então vamos lá.

O problema principal do filme pode ser facilmente rebatido pelo fato de que era exatamente essa a intenção do diretor, mas vou dizer assim mesmo: não. existe. conflito. É um comercial de margarina do começo ao fim. 

(aliás, uma maravilha a quantidade de trocadilhos idiotas que dá pra fazer com esse título)

A história, pra quem não sabe, fala sobre dois meio-irmãos (mesma mãe, pais diferentes) que desde crianças têm uma relação bastante íntima. Óbvio que, quando crescem, os dois ficam juntos e...

Oh, wait.

Não existe conflito. A sinopse acaba aí.

A intenção do diretor, na verdade, era justamente essa: mostrar uma visão alternativa e positiva sobre a relação dos irmãos na sociedade. Até aí tudo bem, mas o problema não é nem esse. O problema é que tudo foi tratado de uma maneira tão artificial que não tem como você acreditar no que está vendo.

Eu sempre digo que qualquer coisa - filme, livro, HQ, fic, novela, etc - tem que ser crível. Pode ser a realidade mais fantástica e surreal do todo o universo conhecido, mas tem que ser crível. Você tem que acreditar no que está vendo/lendo, porque é isso que te faz ser levado pela história, se identificar, se envolver.

Mas né.

Quando eu li as primeiras notícias sobre esse filme, fiquei super animada e feliz que o cinema brasileiro estivesse investindo em um assunto polêmico (que, diga-se de passagem, não era a homossexualidade, mas sim o incesto). Mas Do Começo ao Fim decepciona MESMO.

Não se enganem, isso não é preconceito com o cinema nacional. Existem muitos filmes brasileiros de ótima qualidade (inclusive um que assisti recentemente que vai virar post depois), mas infelizmente não é o caso de Do Começo ao Fim, que não soube como lidar com um tema tão delicado. A proposta era ter uma visão leve sobre o assunto, e tudo o que conseguiram foi algo nada natural. Exatamente o caso dos personagens gays que são colocados nas novelas e tratados com tanto exagero (tanto pro lado bom quanto pro ruim) que não há quem não perceba que aquilo tudo é muito falso.

Uma coisa que contribui muito pra isso no filme são os diálogos, que me fizeram morrer de vergonha alheia. Eu não sabia se ria ou se chorava. E, gente, pelo amor de Deus, o garoto mais novo... Juro que tem uma cena parece teatro de escola mal feito, ele leva um milhão de anos pra lembrar da fala e, quando lembra, parece que tá lendo um teleprompter.

Juro.

Outra coisa: como lembrou muito bem o Luciano do Cinema e Eu, ELES PULARAM A ADOLESCÊNCIA! Como assim, Brasil? Em um dia eram crianças, no outro já eram adultos, e a fase das descobertas, como fica?

Além de tudo isso, posso lembrar ainda da edição digna do Windows Movie Maker, os cortes sem sentido, as cenas que deveriam ser dramáticas me fazendo rir, a cena de pseudo-sexo digna de um mix de Malhação com novela das oito, a completa irrealidade do plot todo, ou pior, a completa falta de habilidade em lidar com um plot irreal, e outras coisas mais.

Assistam, se estiverem dispostos a perder duas horas das suas vidas e ter assunto pra falar mal depois

Pra não dizer que eu sou totalmente má, vou falar dos pontos bons do filme: a polêmica que causou antes de ser lançado. Assim como as novelas, essas tentativas fracassadas de lidar com temas delicados servem ao menos pra isso: pra fazer com que as pessoas falem sobre esses assuntos. Discutam, e não só fechem os olhos e finjam que não existe. No caso de Do Começo ao Fim, a intenção foi boa, mas faltou habilidade. Fazer o que, né? Tenho fé no cinema brasileiro, apesar de tudo.

6 comentários:

Daniel Savio disse...

Mesmo que não queira assumir, o Brasil é bastante conservador, fato...

Fique com Deus, menina Moony.
Um abraço.

Larissa disse...

Suas críticas e resenhas são sempre muito, muito boas, sério!
Admiráveis. Mesmo que fale mal da obra dá uma vontade grande de conferi-la, pra saber o quão bom/ruim ela é.
Estava falando desse filme com um amigo dia desses, ele estava a fim de asssistir, me mostrou o trailler e eu fiquei a fim também, pelo tema e pelo elenco!
Ainda quero ver o quão péssimo ele é. rss

adorei
;*

(bruma) disse...

Só digo uma coisa:

"Empadinha! Empadinha!"

Roberta Souza disse...

OLá!!!
Estou passando aqui para dizer que estou sorteado uma linda caixinha de boneca de biscuit.

Participe!!!

http://robertaasouza.blogspot.com/


Beijoss

Roberta Souza

Atreyu disse...

Eu já vi o filme, e tipo uma coisa que me deixou muito irritado é que a sonoplastia não acompanhava os momentos do filme. Depois disso os atores principais podem até serem bonitos, mas atuar que é bom.. a inexpressividade tava doce. Tipo a parte deles moleques é a melhor parte do filme. Definitivamente..
Gente é assim ó.. quer polemizar? Então vá até o fim.. se parar no meio do caminho dá nisso um filme cagado

Nenhum Mistério disse...

Eu ESTAVA animada para ver o filme, até ler o post xDD
Moony, destruídora de vontades spkapskaop

Mil beijos.
Quando ver o filme, faço um comentário decente ^^